Utilize o campo abaixo para pesquisar obras por título ou código de identificação:

Selecione uma ou mais características para filtrar a sua pesquisa.

D739 - O Progresso do Rio – Cartão para o tríptico “Deveres da Cidade” do Palácio Pedro Ernesto – Rio de Janeiro – Painel Central


Assinatura

Inscrições

Abaixo da assinatura, "Rio, 1922".

Procedência

1943 – Doação do artista ao Museu Histórico da Cidade, da Prefeitura do Distrito Federal, quando o Rio de Janeiro era sede da capital federal.

Localização Atual Exposições Coletivas Publicações Comentários

A sede do antigo Conselho Municipal, projetada em estilo eclético pelo arquiteto Heitor de Mello, foi construída entre 1920 e 1923. O prédio, vizinho ao Theatro Municipal, à Biblioteca Nacional e ao Museu Nacional de Belas Artes, faz parte de um dos mais importantes conjuntos arquitetônicos da cidade do Rio de Janeiro. Atual Câmara Municipal do Rio de Janeiro – Palácio Pedro Ernesto, ostenta na escadaria que domina o vestíbulo o grande tríptico Deveres da Cidade, trabalho impressionista de Visconti concluído em 1923.
Para o painel central do tríptico [P715], Visconti executou três desenhos. Este desenho corresponde ao cartão de transferência para a parte direita do painel central, que homenageia a cidade do Rio de Janeiro. No cartão está representado o progresso da cidade do Rio de Janeiro, simbolizado pela eletricidade, a ciência, a aeronáutica, as artes plásticas e as artes gráficas.
Com o sentimento de preservar para o olhar das futuras gerações o detalhado processo criativo de suas decorações, Eliseu Visconti doou para o governo do então Distrito Federal, em 1942, os principais estudos originais realizados para a confecção dos painéis do Theatro Municipal. No ano seguinte, segundo matéria publicada em “O Jornal” de 11 de maio de 1943, satisfeito com a maneira como os estudos das obras do Theatro foram incorporados ao patrimônio municipal, Visconti fez nova doação ao Museu da Cidade que, à época, funcionava em Copacabana, na Praça Cardeal Arco Verde. Desta feita a doação compreendeu todos os estudos das decorações realizadas para o Palácio Pedro Ernesto, então Conselho Municipal, e para o Palácio Tiradentes, que abrigava a Câmara dos Deputados.
Os estudos doados referentes ao tríptico do Palácio Pedro Ernesto compreenderam cinco cartões de transferência, incluindo este, que abrangiam integralmente o tríptico. Hoje, no entanto, estes estudos não se encontram relacionados nas obras pertencentes aos museus da cidade do Rio de Janeiro. Assim, este cartão, bem como os demais cartões desenvolvidos para o grande tríptico, são considerados desaparecidos, e a única imagem que se possui dele foi extraída do livro biográfico de Frederico Barata, de 1944.


Obras Relacionadas