Utilize o campo abaixo para pesquisar obras por título ou código de identificação:

Selecione uma ou mais características para filtrar a sua pesquisa.

P719 - Assinatura da Constituição de 1891 – Segundo estudo para o Palácio Tiradentes


Assinatura

Inscrições

Junto à assinatura, "Rio, 1925".

Procedência

Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro

Localização Atual Exposições Individuais Publicações Comentários
Em 1924 Visconti recebe a encomenda para executar o painel decorativo do plenário da Câmara dos Deputados – Congresso Nacional (hoje Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro – Palácio Tiradentes, na Praça XV de Novembro). Este é o esboço aprovado pela comissão constituída que, antes, havia rejeitado um primeiro esboço [P703] no qual Visconti havia representado a Posse de Deodoro da Fonseca na Presidência da República.  De fatura mais moderna, o primeiro esboço foi recusado pela comissão por apresentar mulheres em sua composição.
Neste segundo esboço foi representada então a assinatura da primeira Constituição da República em 1891, solenidade na qual mulheres não seriam representadas. Este passaria a ser uma exceção dentre os trabalhos decorativos de Visconti, que têm sempre a mulher como protagonista. A realização da obra previa, em tamanho natural, os retratos dos 63 constituintes, como foi realmente executado, num painel em semicírculo que se encontra atrás da mesa diretora. Álbum do Projeto Eliseu Visconti guarda uma foto da grande mesa e cadeira representadas nessa cena, onde o próprio pintor assina o contrato para realização da pintura, na lateral esquerda da foto. No esboço aqui comentado, [P719], o ato da assinatura acontece no centro da mesa. No entanto, no painel final [P701], Visconti, talvez influenciado pela sua foto, coloca o constituinte assinando na lateral esquerda do painel. Outra diferença entre o esboço e o painel final percebe-se no colorido alegre do esboço, substituído por uma monocromia em tons castanhos, muito provavelmente mais uma exigência da comissão.

Obras Relacionadas