Utilize o campo abaixo para pesquisar obras por título ou código de identificação:

Selecione uma ou mais características para filtrar a sua pesquisa.

P613 - Na alameda


Assinatura

Procedência

1949 – Propriedade da viúva do artista
1974 – Coleção Paulo Sérgio Leme da Fonseca
1982 – Coleção Agnaldo de Oliveira

Localização Atual Exposições Individuais Exposições Coletivas Publicações Comentários

Família e jardins – certamente duas paixões de Visconti, e por isso ele não poderia deixar de se incluir num magnífico ar livre que as integra com perfeição. É dessas pinturas difíceis de definir: seria uma paisagem com figuras ou retrato conjunto numa paisagem? Em primeiro plano o jardim é exuberante em tons de verde e vermelho. Na representação das pessoas, embora seja possível reconhecer claramente cada membro da família, Visconti não teve a preocupação de detalhar o desenho do rosto ou realçar as cores, que se destacam apenas no laço azul de Yvonne e nas flores que Louise segura ao lado de uma carteira junto ao corpo. Ao fundo se distinguem a casa de um vizinho, do outro lado da rua Delfim Moreira, e a paisagem de Teresópolis. O ar da serra começa a azular a vegetação, bem antes de se chegar ao último plano. Yvonne, com uma mão na cintura, segura com a outra uma flor vermelha; Tobias, atrás dela, apóia sua mão direita no tronco da árvore seca; e Afonso, atrás da mãe, descansa a mão esquerda num arbusto. A figura do próprio pintor, apesar de colocada atrás das mulheres, é a que recebeu mais colorido e maior nitidez nos traços fisionômicos, provavelmente acrescentada mais tarde. Completando a ciranda que inclui a natureza, ele pousa a mão direita sobre o ombro da esposa e olha com ternura em direção a ela. Uma declaração de amor ou o reconhecimento de que ela é o motivo e o sustento de tudo em seu redor? Somente em mais uma pintura a óleo conhecida encontra-se toda a família reunida com o próprio pintor [P127].


Obras Relacionadas