CR1938A - Carta de Eliseu Visconti para seu filho Tobias d’Ângelo Visconti – 29 de março de 1938

  • Tipo de Documento Correspondências - Após 1920
  • Ano 1938
  • Acervo Projeto Eliseu Visconti

Pag. 2
Pag. 2

Em 1938, Tobias d’Ângelo Visconti, filho de Eliseu Visconti, faz uma longa viagem à Europa, lá permanecendo por vários meses. Esta é a primeira carta que Visconti escreve a seu filho, que ainda estaria em viagem a bordo do navio. A simplicidade da carta e o tom amoroso só confirmam a importância que Visconti conferia à família, corroborando o acerto de Carlos Drumond de Andrade ao definir o artista como “o pintor da família”. Tobias, então com 28 anos de idade, ainda morava com os pais na Ladeira dos Tabajaras e Visconti, nesta carta dirigida ao filho, já lamenta sua ausência para si e para Louise, além de enviar conselhos de sobrevivência na Europa. Certamente esta e as demais cartas enviadas a seu filho em 1938 ajudam a conhecer o homem “Eliseu Visconti”, complementando o texto que seu próprio filho Tobias redigiria 50 anos depois, retratando  a personalidade do pai.
Nesta carta, Visconti comenta que no dia anterior (28 de março de 1938) teve início a colocação da frisa do Theatro Municipal. Não se trata do friso sobre o proscênio, cuja colocação foi finalizada em fevereiro de 1936. O artista refere-se nesta carta aos adendos laterais que acresceu ao pano de boca, para alargá-lo e compatibilizá-lo com o alargamento da boca de cena realizado na reforma de 1934/36. Uma composição de flores ornamenta os adendos laterais do pano de boca, composição esta que teve a colaboração de Louise, observada numa das aquarelas pintadas pela esposa de Visconti.
A carta está transcrita a seguir.

Copacabana  29 – 3  – 38

Meu Tobias

Enfim já vais longe, tranquilo e salgado em um ambiente novo: o mar. Nós estamos acompanhados de você continuamente em toda parte e a qualquer hora do dia e da noite.

Na noite de 26, pelas 3 horas da madrugada, tua mãe chorou até de manhã já se sabe porquê! No dia 27 à noite, o cachorro do vizinho latiu como era de costume, não se ouviu a tua voz, tua mãe caiu em prantos novamente. O cão por instinto calou-se até a madrugada.

Na hora do jantar, tuas pernas estão sempre em contato com as minhas e assim todo o resto do dia. A única coisa que me aflige é 22 dias a bordo, porém, esta prisão te fará bem.

Domingo à noite tivemos a limpeza da Travessa Sta. Margarida. O pessoal da limpeza não estava nada contente, provavelmente contra a administração que agora faz os operários trabalharem.

28 – Hoje começou a colocação da frisa do Theatro Municipal. Espero em 3 dias estará tudo terminado, tem corrido tudo bem apesar de muito calor.

29 – O tempo sempre como você deixou. Hoje recebemos a tua primeira carta. Ficamos muito contentes de estar em companhia de rapazes portugueses.

O enjoo é coisa passageira e às vezes faz bem, limpa. Tenha cuidado de nunca teres o estômago vazio. Quando se vomita é preciso ter sempre algo a expulsar. Alimente-se bem. Estes conselhos são para a outra viagem de volta. As coisas da Europa estão sempre no mesmo pé de guerra. Esperemos que na tua chegada, em França, tudo estará calmo. Desejo muito que vás à Itália. Roma, Milão, Florença. Milão é indispensável. Cidade de grande vibração e progresso. Quando tiveres feito tudo em França, visite a Itália e volte num navio em Gênova. Nada de novo por aqui, sempre a mesma rotina. Vamos bem de saúde. Escreva-nos sempre e mande-nos dizer para onde te devemos escrever. Beijos teu pai.

 

Fale Conosco