Utilize o campo abaixo para pesquisar obras por título ou código de identificação:

Selecione uma ou mais características para filtrar a sua pesquisa.

D565 - Marabá – Cópia de Rodolpho Amoedo

MARABÁ - CÓPIA DE RODOLPHO AMOÊDO - GRAFITE SOBRE PAPEL - 18,7 x 15,1 cm - 1888 - MUSEU NACIONAL DE BELAS ARTES - MNBA - RIO DE JANEIRO/RJ

Assinatura

Inscrições

Abaixo da assinatura: "copiado do Amoedo Rio.1888 Marabá".
Na borda inferior esquerda: "Tombo 6128".
Logo abaixo: "Inv. 5389".
Mais abaixo: "nº serie DB.524".

Localização Atual Exposições Coletivas Publicações Comentários

Visconti, ainda como aluno da Academia Imperial de Belas Artes, copiou a moça de “Marabá” seis anos após Rodolpho Amoedo concluir a tela em Paris. Considerada das mais importantes obras de Amoedo, “Marabá” integra o acervo do Museu Nacional de Belas Artes.

Ana Maria Tavares Cavalcanti, em seu trabalho “Da prática das cópias às imagens de referência na pintura de Eliseu Visconti”, analisa esta cópia de Visconti:
É interessante notar que Visconti optou por registrar a versão inicial da pintura, o estudo no qual a mestiça olha diretamente para nós, espectadores do quadro, sendo que na obra final, Amoêdo desviou o olhar da moça, pintando seu rosto de perfil. Talvez Visconti tenha ficado tão admirado quanto os que hoje comparam essas duas versões e observam a diferença expressiva entre elas.2 De fato, enquanto na versão final, Marabá tem uma atitude reflexiva e melancólica, que em nada ameaça os que a contemplam, já no estudo registrado por Visconti, ela é abertamente sedutora, uma femme fatale como estava em voga na Europa do final do século.

Fale Conosco