CR1912B - Carta de Júlio Micheli, tesoureiro da Exposição Brasileira de Belas Artes, a Visconti, enviando o cheque referente à aquisição da obra “Maternidade” – 21 de março de 1912

  • Tipo de Documento Correspondências - De 1901 a 1920
  • Ano 1912
  • Acervo Projeto Eliseu Visconti

Após a exposição individual de 1903, Visconti apresentou-se novamente ao público paulista ao final de 1911, na Primeira Exposição Brasileira de Belas Artes, realizada no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, ambicioso empreendimento para as artes plásticas brasileiras, levado adiante pela iniciativa privada paulista. Dentre outros trabalhos, Visconti expôs Maternidade [P415], unanimemente considerada a tela mais valiosa da exposição. Depois de intensa campanha movida pela imprensa para sua aquisição, o governo paulista ofereceu um preço inferior ao pedido pelo artista e a venda não se concretizou de imediato. No cartão [CR1911A] , Amadeu Amaral pede que Visconti reduza o preço da tela, prestes a ser adquirida pelo governo do Estado de São Paulo. Algumas polêmicas envolveram a aquisição da obra, inclusive incidente com o então Deputado Freitas Valle, relatado nas correspondências [CR1912] e [CR1912A].
Nesta carta, o tesoureiro da exposição finalmente encaminha o cheque para Visconti, comprovando que a venda se concretizou pela quantia de 5:000$000 réis, com alguns descontos descritos na carta. Visconti, inicialmente, havia fixado o preço em 6:000$000 réis.

Fale Conosco