CR1907C - Carta de Eliseu Visconti a Francisco Oliveira Passos argumentando sobre a inconveniência de se realizar exposição dos trabalhos do Theatro em local fora do atelier de Paris – 21 de junho de 1907

  • Tipo de Documento Correspondências - De 1901 a 1920
  • Ano 1907
  • Acervo Centro de Documentação da Fundação Teatro Municipal do Rio de Janeiro

Páginas 2 e 3
Páginas 2 e 3
Página 4
Página 5
Páginas 6 e 7
Página 8

Concluídos, o pano de boca e os demais trabalhos para a decoração do Theatro Municipal do Rio de Janeiro foram  expostos em Paris, entre 20 e 28 de julho de 1907, no atelier do artista. Embora envaidecido com os insistentes pedidos para mostrar seus trabalhos ainda na capital francesa, Visconti não pretendia realizar essa exposição, pois o contrato de aluguel do atelier expirava em 15 de julho e o novo inquilino negava-se a permitir que o prazo fosse prorrogado por um dia sequer. Sabe-se, por esta carta de oito páginas, de 21 de junho daquele ano, encaminhada a Francisco Oliveira Passos, que Visconti não admitia realizar a exposição em outro local, temendo pela integridade de suas obras.

Paris, 21 – 6 – 907
Illmo Snr Dr Francisco de Oliveira Passos.
Architecto do Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Acabo de receber a sua carta de 28 de Maio findo e folgo muito sabel-o com saude.
Todas as pessoas que tem visitado o meu atelier tanto nacionais como estrangeiros têm-me acconselhado para que se faça uma exposição dos mesmos n’esta Capital.
Dizer-lhe a verdade isto muito deve lisonjeal-o.
Quando o Exmo seu pai esteve ultimamente no meu atelier foi questão de Sua Exa interessar-se junto d’essa commissão a fim de obter-se os recursos necessarios para as dispesas da dita exposição.
Effectivamente Sua Exa em fins do mez passado escreveu-me de Paris dizendo que essa commissão solicitava os dados necessarios para levar-se a effeito o projectado ?
Até hoje não lhe tenho respondido não por desleixo porem esperando a occasião opportuna para manifestar-me definitivamente.
Como sabe pelo nosso contracto primitivo necessitava só de um anno para a execução das decorações. Allugando para esse fim o Atelier que occupo por contracto até 15 de julho vindouro.
Porem com as prorogações que obtive contava com a benevolencia do meu proprietario de prorogar o meu prazo por mais 3 mezes, infelizmente tal favor não pude obter e por conseguinte tenho que metter-me ao fresco no dia 15 de Julho proximo por achar-se allugado o meu atelier.
Dahi o Dr calculará em que enbaraço me achei principalmente no que diz respeito ao panno de bocca!
Tive que dobrar de actividade, trabalhando noite e dia para estar concluido para a minha mudança, effectivamente o estará.
Quanto a questão da exposição sinto dizer-lhe é materialmente difficil fazel-a fora do meu Atelier pelos motivos que passo a expor-lhe.
1º Seria muito difficil achar-se um local appropriado em condições de luz, d’espaço para desenvolver em toda sua estenção o panno de bocca e o plafond.
2º O Dr pode avaliar a difficuldade e o perigo que correm em enrolar, desenrolar, estender e transportar um quadro pintado medindo 14 x 13 metros atravez Paris!
Todas estas operações compromettem seriamente não só a parte artistica como o tecido do panno veria muito a soffrer.
Ninguem mais do que eu teria desejado expor tudo aqui porem antes de tudo é evitar os perigos que podem advir.
A respeito das photographias que me pede logo que tenha uns momentos livre e tempo disponivel chamarei um photographo para avaliar em quanto importa a reprodução de todos os trabalhos decorativos e em proxima carta lhe participarei o resultado.
Porem desde já digo-lhe, não convem photographar detalhes; reproduzir tudo ou nada.
A frisa e o plafond necessitam de processos especiaes photographicos que só aqui se podem obter; no Rio seria impossivel.
Devido as condições especiais de instalação, o panno de bocca só pode ser feito em 3 vezes isto é são necessarios 9 clichés e depois unil-os todos.
Como vê é um trabalho longo e delicado, porém é um trabalho que fica feito e documentario para a prefeitura.
D’ora avante peço dirigir minhas cartas para o consulado.
Sou com estima e consideração
Amigo obrigado
E. Visconti
P.S.
Junto segue o preço do thelegramma.