CR1904 - Carta do Maestro Alberto Nepomuceno a Visconti, parabenizando-o pela medalha de ouro na Exposição de Saint Louis/EUA – 20 de dezembro de 1904

  • Tipo de Documento Correspondências - De 1901 a 1920
  • Ano 1904
  • Acervo Projeto Eliseu Visconti

Pag. 2Nesta carta Alberto Nepomuceno parabeniza Visconti, que se encontrava em Paris, pela medalha de ouro em pintura que o artista conquistou com a obra Recompensa de São Sebastião [P331] na “Universal Exposition of Saint Louis”, comemorativa do centenário da aquisição do Território de Lousiana pelos EUA (Louisiana Purchase). Na mesma exposição, Visconti recebeu uma medalha de bronze por trabalhos de design (arte aplicada à indústria).
Nepomuceno também agradece por Visconti ter atendido a encomendas do maestro, dizendo que lhe daria também uma medalha de ouro por fazer tão bem compras no Louvre. E tece comentários sobre as obras de urbanização do Rio empreendidas por Pereira Passos. Despede-se mencionando a esposa Walborg e o filho Eivind. Dois anos antes, Visconti havia feito um magnífico retrato da família do maestro [P203]. A seguir, a transcrição da carta.

Meu caro Visconti

Só agora me é possível escrever-te pois só agora não tenho mais exames. Aceite meus parabéns com um abraço apertadíssimo pela medalha de ouro que obtiveste em S. Luiz.
Nem era de esperar outra coisa. Junto a esta um cheque de 53 francos que te devo da encomenda que chegou em perfeito estado e tudo correspondendo ao que se esperava.
Fizeste muito bem tudo o que encomendamos e se fôssemos Exposição de S. Luiz dar-te-íamos medalha de ouro pelo serviço executado de fazer tão bem compras no Louvre.
Não tenho pena de ti por te achares em Paris. Estás tomando banho de civilização. Queira Deus te agarrem por lá obrigando-te a ganhares muito dinheiro e o mais.
O Luiz de Castro e família mandam-te muitos cumprimentos e parabéns.
Nós tivemos aqui uma revoluçãozinha que se vencesse seria a maior das desgraças. Felizmente esse Brasil tem um anjo da guarda que o preserva dos desinteressados Lauros Sodrés.
Espero que continues por lá muito tempo, se bem que o desejo de ver-te seja grande, prefiro o desgosto de te não ver pelo prazer que tenho  de saber-te feliz aí.
O verão continua. Os trabalhos de embelezamento também. Alguma coisa ficará feia mas em todo caso, melhor, mais asseado, pelo menos do que existia. Saudades da Walborg.

Adeus – um abraço apertado do teu
Alberto

O Eivind deve escrever-te. Somente ele está em Petrópolis e eu no Rio gozando de um calor promissor neste dia 20 de dezembro de 1904.

Fale Conosco