CR1896C - Carta de Rodolpho Bernardelli a Eliseu Visconti – 24 de abril de 1896

  • Tipo de Documento Correspondências - Até 1900
  • Ano 1896
  • Acervo Museu Nacional de Belas Artes - Rio de Janeiro

Páginas 2 e 3
Páginas 2 e 3

Nesta sexta carta da série que Rodolpho Bernardelli encaminha a Visconti, de assuntos variados, Bernardelli comenta sobre o pedido de verba que Visconti deveria fazer para executar uma tela de 24 m² intitulada Saída da Vida Pecaminosa, tema extraído da Divina Comédia, de Dante. Visconti chegou a executar um estudo de dimensões menores sobre o tema [P985]. No entanto, a ajuda financeira para executar o grande quadro, apesar de autorizada pelos professores da Escola Nacional de Belas Artes, acabaria vetada.
A pesquisadora e historiadora Ana Maria Tavares Cavalcanti é autora do texto intitulado “Impressões sobre o meio artístico nacional nas cartas de Rodolpho Bernardelli, Diretor da ENBA, a Eliseu Visconti, pensionista em Paris”, integrante da publicação “Histórias da Escola de Belas Artes – Revisão Crítica de Sua Trajetória”, Editora Nau, 2017. Entende a historiadora que a análise dessas cartas tem muito o que acrescentar ao conhecimento sobre o meio artístico brasileiro do final do século XIX.

Rio 24 de abril de 1896
Amigo Visconti
Por este mesmo correio partem para essa capital o J. Fiúza e João Baptista da Costa, aquelle vae para Munich, e este por hora vae ficar em Paris, também segue no mesmo vapor Seeling, um rapaz que quando esse estava aqui era da [trecho rasgado] vae para Munich para este a mudança será de pouco, visto que falla perfeitate o allemão.
Peço que me desculpe se não lhe tenho escripto, mas desde que recebi tua carta tenho andado em má maré, o mez de Março, passei-o na cama, felismente não foi senão um Eczema, mas que não sendo cousa perigosa, é cousa incommoda obrigando-me a ficar na cama por mais de vinte dias, mas enfim devemos nos contentar com a nossa sorte e ha que tenha sido mais infeliz.
No dia 10 do próximo mez partira d’aqui o modello da Estatua do Alencar que vae para ahi para o Thiébault fundir e em breve hirão seguindo os modelos do Caxias [trecho rasgado]
Terminado o meu grande sacrificio artistico ficando livre de poder hir onde bem me parecer talvez deva estar ahi no mez de julho isto depende de ver como hira desta vez na Camara a votação dos fundos para o Monumento a B. Constant.
A respeito da sua composição veja que chegui aqui seu pedido de verba a tempo, porque agora estamos com um Ministro como os do antigo regimem tratando o que é arte como se fosse cousa
superflua estou tão desgostoso com tanta picardia que se tem feito a Escola que vou commeçar por pedir licença; já perdi completamentente a fé, não espero mais que se faça alguma cousa, voltarão os Victors, os Americos, os Mafras Parreiras e compo bella e bom la lá [?] para adeante, tratar pois de se prep[trecho rasgado] eventualidades.
O Oscar parte para ahi no dia 29 não quer saber de ficar aqui vendeu dous quadros e fez uns retratos e lá vae elle contente e diz que lá, elle pode viver muito melhor do que aqui [desenho de um dedo abrindo um olho] pense no caso e vá preparando pão para o forno!
Por mais que eu trabalha-se para fazer com que o Ministro lhe desse o dinheiro para fazer seu quadro grande até agora nada.
é uma grande injustiça entretanto o B. teve mais um anno de pensão.
Já deve saber por ahi que o nosso Carlos Gomes está perdido, pois se lhe declarou um cancro na língua e já lhe fizerão uma operação em Lisboa, agora todos tem pena delle!….. é bem desta gente, em quanto não se soffre ninguém ajuda o homem quando elle cahe então querem o socorrer. É bem triste a sorte desse grande talento Brazileiro um dos unicos talvez verdadeirate Brazileiro, tivesse os Estados Unidos tido um Gomes, que hoje não só seria richissimo como [trecho rasgado] no mundo inteiro!…..
Termino [trecho rasgado] lhe saude e felicidade, e desejando poder abraçal-o brevemente.
Lembranças do amiº Brocos, e até breve, conte com este
seu amigo dedicado collega.
Rod. Bernardelli

Fale Conosco