CR1894 - Carta de Rodolpho Bernardelli a Eliseu Visconti – 10 de dezembro de 1894

  • Tipo de Documento Correspondências - Até 1900
  • Ano 1894
  • Acervo Museu Nacional de Belas Artes - Rio de Janeiro

CARTA DE RODOLPHO BERNARDELLI em 10-12-1894 - pag. 2
CARTA DE RODOLPHO BERNARDELLI em 10-12-1894 – pag. 2

Durante o período de Visconti como bolsista da Escola Nacional de Belas Artes, o artista recebeu na Europa seis cartas de Rodolpho Bernardelli, à época Diretor da Escola. Esta é a carta mais antiga do conjunto que integra o acervo do MNBA. A pesquisadora e historiadora Ana Maria Tavares Cavalcanti é autora do texto intitulado “Impressões sobre o meio artístico nacional nas cartas de Rodolpho Bernardelli, Diretor da ENBA, a Eliseu Visconti, pensionista em Paris”, integrante da publicação “Histórias da Escola de Belas Artes – Revisão Crítica de Sua Trajetória”, Editora Nau, 2017. Entende a historiadora que a análise dessas cartas tem o que acrescentar ao conhecimento sobre o meio artístico brasileiro do final do século XIX.

Rio, 10/12/94
Amigo Visconti
Não lhe tenho ainda escripto e quem sabe o que pensará?
Sei porém que è meu afeiçoado e como tal confia na boa amizade e interesse que sempre lhe demonstrei por conseguinte espero que não tomará a mal, se não lhe tenho respondido as suas e agradecer lhe.
Por aqui estamos com o canto das cigarras, o que quer dizer, com o calor, fedor e molestias, para mudar este ano surgiu lá pelo interior o Asiatico colera, importado com os Chins! parece que se tem tomado todas as providencias oxalá seja assim, mas a vista do que se tem feito com a amarella não dá muita fé, enfim talvez com esta como atacca a todos e não só aos estrangeiros. Talvez se tenha mais cuidados. Acabou-se a Exposição Geral e estamos com a dos alumnos e julgamento do concurso de viagem que será hoje, vamos a ver de quem será um que se chama Alma Mater é o melhorzinho em geral a Exposão e regular os alumnos vão caminhando em marcha cerrada, já estou porem muito aborrecido, o Governo nada faz para a escola e sem local nada é realizável. Tenciono hir apertar lhe as mãos em abril o mais proximo, não vejo hora de partir é impossível para mim supportar esta vida tão esteril.
Como vae de trabalhos? e preciso que pa o próximo Salão, o amigo se apresente com um grande trabalho que seja successo! Vá pensando em composição não esmoreça e preciso mostrar que sabe também escrever com o pincel. Meu irmão vae passar o verão em Theresopolis eu aqui fico trabalhando e tenho tanto que fazer. Não desanimo e produzo.
O Cosme Peixoto voltou a renascer para ataccar me, esse porem è um pobre Diabo, do qual não faço o mínimo caso, elle em si encontrara a recompensa devida.
Va trabalhando meu amigo o senhor será o homem que fará como Christo no templo.
Por hoje deixo-o e para não perder o Correio.
Lembranças ao Frederico e diga lhe que elle tambem tem que mandar quadro para o futuro Salão não perca tempo.
Disponha sempre de mim como amigo sincero,
Seu
Rodolpho Bernardelli
Lembranças ao [?]

CARTA DE RODOLPHO BERNARDELLI em 10-12-1894 - pag. 3
CARTA DE RODOLPHO BERNARDELLI em 10-12-1894 – pag. 3
Fale Conosco